Ventania

O dia levantou cedo
– eu acho que não dormiu.
Foi seduzido por Pedro
e o delirante assobio
de descobrir horizontes
quando a noite cobre o rio.

O Pedro é como um vigia,
com olhos postos ao longe
pra ver se o amanhã vem hoje
com luz e cor de alegria.
Então, quando um dia foge,
por outro, Pedro assobia.

Nas noites de lua ausente
em que a vida se desfia
e o rio não segue a corrente
nem volta aonde principia,
assobio de ventania
anima cada casebre,
como a explosão de uma febre,
antecipando outro dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *