Rosas demais

(com João Palmeiro)

Às vezes me acho perdida,
parece até que ando só.
Volta e meia viro a vida
– pé no mundo arrasta pó.

Viro as pedras, viro as ruas
virá verão
faço a festa, sol na testa
rumo na mão.
Dirão sim ou não

Já não espero novo dia pra cantar

Viro as pedras, viro as ruas
Invento o verão
Toda luz que vem da fresta vira clarão
Dirão sim ou não

Já não espero novo dia pra dançar

Venha multidão
atrás de um caminhão veloz
vento e pulsação
rasgam veias da minha voz
veia em plantação
terá rosas demais
terá rosas demais
terá rosas demais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *