Romance rasgado

Ela vende geléia, laranja, feijão,
bem-me-quer, azaléia e rosa em botão,
escultura de santo, ilusão a quem queira
sonhar como sonham as porta-bandeiras.

Ex-rainha de blocos, bailões e forrós,
Musa dos trovadores destes cafundós
usa amenos perfumes de flores campeiras
e atiça o ciúme do belo da feira.

Ela vende passagem ao fim do arco-íris,
esperanças eternas pra quando partires,
vende arroz, tangerina, espelho, colar
e um cravo vermelho semeado ao luar.

Ela vende retrato de artista e de miss,
aguardente de cana, essência de anís,
mas se nega a vender mesmo pra namorados
um romance rasgado de final feliz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *