Paraíso

(com Carlos Catuípe)

Quais árvores terá? Que frutos
– de tantos que provei e dos que não provei –
irão saciar os bons, os mansos, justos,
e adoçar os mais brutos dos foras da lei?

Será em Tumucumaque?
Nos céus? Em Juruena?
Grande Sertão Veredas?
Bosque, jardim ou parque?
Além do mar, quem sabe,
ou nem tão longe assim
haverá luz sem fim
e gente sem idade.

Quais pássaros terá? Que peixes
e que animais do chão? Que sinfonia aérea
espantará de vez, de um paraíso desses,
todas pragas divinas e humanas misérias?

Será em Itatiaia,
Tijuca ou Amazônia?
Fernando de Noronha?
África? Europa? Ásia?
Chapada Diamantina?
Onde será que a gente
fará que chova e vente
o bem que não cultiva?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *