Memória do levante final

Ai de vós, índias e índios
de minguada produção,
que acorreis à rebelião
supondo em vosso domínio
a escolha de bom destino
e por justa direção;

ai de vós, índias e índios
que ousais insistir que não
ante a ordem de expulsão
do chão de vosso convívio
de vossos pais vossos filhos,
bisavós avós irmãos;

ai de vós, índias e índios
que credes, porque cristãos,
que é infinita a proteção
que vos concede o Divino;

ai de vós, índias e índios,
já não tendes mais perdão;
perecereis na invasão
de soldados (ou bandidos);

ai de vós, índias e índios,
não tereis outro verão.

Ai de vós, que recusais
obediência a quem deveis
(é com vassalos que os reis
contam na guerra e na paz);
vereis que isso não se faz
— levantar-se contra as leis
que aos soberanos convém
porque os enriquecem mais;

ai de vós, que desprezais
das lições o seu contrário:
jurastes pelo santuário,
mas são de ouro as catedrais;

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *