Desatinada (Milonga fala do século)

capa joao milonga

(com João de Almeida Neto e Talo Pereyra)
Intérprete: João de Almeida Neto no CD Coração de Gaúcho / 2000

Dois mil e um já rebenta
deixando um século atrás
no teatro de guerra e paz
montado neste planeta,
teatro em que alma de poeta
vale pouco ou vale nada,
por isso, desatinada
se solta com voz inquieta.

Se foram outros cem anos//
– e o que há de deixar saudade?
Uns carnavais de arrabalde,
romances de pampa e oceano,
concertos de galo e piano,
colo de mãe, fins de tarde,
payadas de liberdade
de um certo Jayme Caetano…

Eu não vou sentir saudade
do Holocausto e de Hiroshima,
das ditaduras latinas
e de outras, planeta adentro.
Eu vou, a qualquer momento,
banhar-me em raios de sol
junto a um poeta espanhol
disfarçado em flor e vento.

Muitos pobres, poucos ricos
no entra-e-sai de cada dia,
no rodízio de políticos
e gênios da economia.
Louvo o progresso científico,
louvo a tecnologia,
mas só navego em poesia
– internauta louco ou lírico.

E assim vou indo ao futuro
com a dona do meu amor
e um cântico pra Xangô
numa cidade sem muros,
esperança em manhãs claras,
fantasias de aluguel,
um sonho de Che Guevara
e alguns tangos de Gardel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *