Castigo das águas

(com Carlos Catuípe)

Ibirapuitã Uruguai Jacuí Guaçu
Subaé Araguaia Mearim Juruá…
Nunca mais, homem mau, nunca, em rio nenhum
beberás águas puras de Oxum e Yemanjá.

Vão pelos rios deste país
dourados bagres mandubés…
sobrevivendo por um triz
ao desalmado que tu és;
mas ai de ti, pois já verás:
te cercarão, águas e bichos,
de todo o esgoto e todo o lixo
com que agrediste as orixás.

Cipamaroti Camaquã Jaguarão Xingu
Canindé Tietê Paranã Tinguá…
Nunca mais, homem mau, nunca, em rio nenhum
beberás águas puras de Oxum e Yemanjá.

Já vai, tua casa, cheirar mal;
a tua fábrica, ruir;
morrer de sede o canavial;
tua mulher negar-se a ti;
até que um rio e outro e outro,
desde a nascente até a foz,
se livrem do lixo e do esgoto
com que feriste todos nós.

Sinos Guaporé Buricá Anhangabaú
Tocantins Amazonas Jari Jundiá…
Nunca mais, homem mau, nunca, em rio nenhum
beberás águas puras de Oxum e Yemanjá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *