Beleza

(com Carlos Catuípe)

Ao sol raiar
e ao sol se por,
rompe beleza igual
no litoral
na capital
no interior;

ao sol se por
e ao sol raiar,
jorra lindeza tal
que até o mal
cede, afinal,
vez e lugar.

Quem acredita e quem não crê
que foi um deus que ordenou “Luz!”,
deve escutar uirapurus
cantando a cada amanhecer;
deve plantar, cuidar, colher
com devoção de quem produz;
improvisar maracatus,
sambas de roda, bendenguê…

Quem acredita e quem não crê
que foi um deus que ordenou “Luz!”,
prove a beleza, que reduz
o drama de ser ou não ser;
prove do fogaréu que arder
dos corpos dos amantes nus;
coma de tudo que o seduz,
beba e se farte de viver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *