Amor bandoleiro

3

(com Ivaldo Roque e Talo Pereyra)
Intérprete: Flora Almeida no LP VIII Ciranda Musical/ 1987

O meu amor bandoleiro
não se entrega sem lutar;
se desacata, maltrata e assalta,
quer mesmo é se sustentar;

o meu amor campesino
só se dá quando confia;
se toma roça, se apossa e produz,
quer mesmo é ter moradia;

o meu amor passageiro
não se orienta sem andar;
quando se acha e marcha e voa,
quer mesmo é se governar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *